ENCONTRE AQUI

Biblioteca Nacional BIM está com regulamento novo

Mais enxuto e mais didático, o documento vai facilitar a inserção de objetos na BNBIM. Para o início de 2022, a novidade será a Plataforma BIMBR, que ganha cara nova

CCOM | 30/09/2021

Atualizado para um formato mais coeso, mais intuitivo e didático, o novo Regulamento Técnico da Biblioteca Nacional BIM (BNBIM) tem o objetivo de facilitar a jornada do usuário da BNBIM. A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), responsável pela atualização, manteve o padrão de qualidade do regulamento e a consistência nos dados de todo conteúdo carregado na Plataforma. Em breve, a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) promoverá debates virtuais com especialistas para discutir as mudanças no regulamento.

O analista de produtividade e inovação da ABDI, Leonardo Santana, afirmou que a revisão e atualização do regulamento faz parte de uma série de iniciativas voltadas à atualização da Plataforma BIMBR. “Isto contribui muito com a adaptabilidade do mercado ao que será cobrado como norma daqui um tempo. Em especial para aqueles que possuem catálogos de produtos, a adaptação aos requisitos mínimos exigidos neste Regulamento vai facilitar os possíveis ajustes que possam surgir com o lançamento da norma brasileira de BIM, no tocante a objetos”, explicou.

A indústria de elementos construtivos é peça-chave na engrenagem para alavancar o BIM. Os projetistas quando vão modelar um edifício em Building Information Modeling (BIM) utilizam um banco de dados - uma biblioteca - de componentes prontos. Como praticado nas bibliotecas internacionais mais bem estruturadas, a metodologia de upload de objetos e componentes BIM na BNBIM, hospedada na Plataforma BIM BR, segue o estabelecido em um regulamento técnico que institui critérios e requisitos mínimos que norteiam os usuários interessados em disponibilizar seus objetos na Biblioteca.

Com o novo regulamento, a dinâmica de upload e download de objetos na biblioteca da Plataforma BIMBR permite que qualquer usuário que observe os requisitos necessários possa disponibilizar seus objetos na BNBIM. Entre as mudanças no documento, estão a disponibilização da tabela 0P da ABNT para a nomeação correta dos parâmetros geométricos e não geométricos nos objetos; alguns anexos explicativos que irão tornar as informações mais didáticas aos usuários; as definições dos termos já em acordo com as discussões da ABNT (glossário dos significados); e a inserção de um novo campo de descrição nos parâmetros do objeto, entre outros.

Biblioteca Nacional BIM

A Biblioteca Nacional BIM foi lançada em 2018, com o intuito de aumentar a produtividade da construção civil, reduzir os custos de produção, incentivar a concorrência no mercado e ampliar a transparência nas obras públicas em todo o país. Toda a cadeia produtiva da construção civil - que engloba mais de 250 setores – pode consultar, pesquisar e fazer o upload ou download de objetos BIM na biblioteca hospedada na Plataforma BIM BR.

“A ABDI tem buscado incentivar o mercado na participação ativa do povoamento da biblioteca. A plataforma estimula o uso e o estudo sobre BIM, mas também incentiva as pessoas a participarem dessa dinâmica que ela disponibiliza na biblioteca nacional BIM para fazer upload e download dos objetos”, explicou Leonardo Santana.

De acordo com ele existem “dois atores-chave”: os fabricantes e os projetistas. Os fabricantes disponibilizam os catálogos de produtos,  dão mais visibilidade e fazem o fluxo de um trabalho BIM ser mais inteligente. O projetista utiliza aquelas informações para otimizar o seu trabalho. Além disso, temos estudantes interessados.

“Se você tem uma biblioteca BIM desenvolvida por você mesmo, pode disponibilizar seus objetos ali, aumentar a sua visibilidade e melhorar o mercado. Essa dinâmica depende da participação do setor privado. O governo colocou, inicialmente, alguns objetos para estimular esse processo, mas a dinamica deve acontecer pelo setor privado”, esclareceu Leonardo.

Sobre BIM

A metodologia BIM permite aos profissionais projetar, construir e operar o empreendimento, durante todo o ciclo de vida da construção, com uso de tecnologias que identificam com antecedência os gargalos dos projetos, o que previne desperdícios e otimiza a execução das obras.

Sobre a Plataforma BIMBR

Há mais de seis anos, a ABDI atua ativamente na adoção e difusão do BIM, seja nas instâncias do governo, academia ou indústria. Prevista expressamente na política nacional de BIM (Decreto 9.377/2018), a Plataforma BIMBR possui conteúdo dinâmico sobre a Modelagem da Informação da Construção e hospeda a Biblioteca Nacional BIM (BNBIM), com o objetivo de se tornar um repositório de bibliotecas virtuais BIM no Brasil. Além disso, a ABDI lançou também uma capacitação para oferecer os pilares iniciais da metodologia BIM de modo a auxiliar na transição para a metodologia do maior número de interessados possível.

Com o fim de atualizar a plataforma e adequá-la às novas necessidades dos usuários, a Agência lançou uma consulta pública para ouvir as sugestões dos setores diretamente envolvidos com a metodologia. Mais de mil pessoas do setor de Arquitetura, Engenharia e Construção Civil (AEC) responderam à pesquisa.  A previsão é que a plataforma esteja de cara nova no primeiro semestre de 2022.  Aguarde as novidades!