ENCONTRE AQUI

DigitalPE entra na fase de escala para expandir inovação aberta para MPEs

Selecionado pelo edital Digital.BR, da ABDI, o projeto DigitalPE ganha apoio do governo de Pernambuco para levar transformação digital a 150 empresas no Recife, Agreste e sertão do São Francisco

UCM | 13/10/2021

O DigitalPE, programa de transformação digital para micro, pequenas e médias empresas de Pernambuco, é um dos três selecionados para a etapa de escala do edital Digital.BR, promovido pela Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI). A rede pernambucana, liderada pelo Porto Digital, apresentou, nessa quarta-feira (13), os resultados da fase piloto e anunciou o início das ações da fase de escala, que vai alcançar 150 empresas de todos os segmentos (indústria, comércio e serviços) na Região Metropolitana do Recife (RMR), no Agreste e no Sertão do São Francisco.

No evento, que contou com a participação da ABDI, o DigitalPE também assinou convênio com a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico, para permitir o aporte de R$ 1,5 milhão ao projeto, que é a contrapartida requerida pelo edital Digital.BR para esta próxima fase. A ABDI investirá mais R$ 1,5 milhão na iniciativa, totalizando a destinação de R$ 3 milhões para a estruturação da rede em Pernambuco.

Na fase piloto, o DigitalPE apoiou 44 empresas de Recife, Caruaru e Petrolina, resultando em mais de 20 soluções digitais em fase de implementação até o momento.  “Foi um trabalho cooperativo, fruto desse ecossistema, dessa interação e dessa visão de futuro que vocês aqui do estado de Pernambuco têm trazido. A ABDI focava suas ações no centro-sul do país, embora sua competência seja nacional. Mas resolvemos apostar em soluções inovadoras e formação de ecossistema no Nordeste brasileiro”, afirmou Igor Calvet, presidente da ABDI, que esteve presente no evento de assinatura do convênio.

“A assinatura do convênio firmado entre a ABDI, o Porto Digital e o governo de estado significa trazer inovação e fomentar o empreendedorismo digital na cidade de Recife, fazendo com que o estado fique cada vez mais inovador. Vamos transformar o futuro de 150 empresas”, aponta Pierre Lucena, presidente do Porto Digital, instituição líder do DigitalPE, e que esteve no evento ao lado do secretário de Desenvolvimento Econômico, Geraldo Júlio e representantes de startups e indústrias atendidas.

Para o secretário, as empresas só podem olhar para o futuro se olharem para a inovação e a tecnologia, e tudo o que traz o mundo digital. “Um tempo atrás, quando se falava em transformação digital, se pensava em incremento de receita, melhorar um pouco a área comercial da empresa, mas hoje a gente sabe que a transformação digital é vital. Com o investimento de R$ 1,5 milhão da ABDI e a contrapartida do mesmo valor da Secretaria, 150 empresas pernambucanas passarão pelo processo de transformação digital”, afirmou Geraldo Júlio.

O superintendente estadual do Banco do Nordeste em Pernambuco, Pedro Freitas, destacou que as empresas selecionadas também poderão ter suas despesas referentes ao processo de transformação digital financiadas pelo banco. 

“É  uma alegria para a SoFtex ser signatária nessa parceria. Todas as empresas precisam ter autossustentabilidade, mas a gente entende que um ecossistema forte é feito da união entre instituições, governo e iniciativa privada”, afirmou o presidente do Softex de Pernambuco, Yves Nogueira.

Além do convênio com o governo estadual, o DigitalPE vai estruturar uma plataforma que permita o matchmaking entre micro e pequenas empresas (MPEs) demandantes e startups/empresas provedoras de soluções tecnológicas. A Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação de Pernambuco também vai destinar um bônus tecnológico para as empresas que participam do projeto.

Matching e soluções digitais

Mapear, conectar e resolver desafios por meio de soluções inovadoras digitais, com qualificação prática, suporte de especialistas e conexão direta com a rede de inovação de Pernambuco. Esse é o objetivo do DigitalPE, que construiu um catálogo com 627 soluções digitais para micro e pequenas indústrias.

O atendimento às empresas da fase piloto do programa foi dividido em cinco ciclos nos temas de marketing e vendas, manufaturas, pessoas, logística e gestão administrativa. A rede utiliza metodologia de inovação aberta do Open Innovation Lab (OIL) do Porto Digital.

O empresário Renato Celso, da Lapon, uma empresa farmacêutica atendida pelo DigitalPE, afirmou que a orientação da equipe do DigitalPE está sendo essencial para a transformação digital da empresa. "Passamos pelo mundo analógico e vamos entrar agora em uma fase totalmente digital. O trabalho desse projeto dá certo pelo atendimento particular às empresas. Tratam cada uma da sua forma, mostrando o norte que cada uma deve seguir", explicou.

O DigitalPE reúne uma rede composta pelo Núcleo de Gestão do Porto Digital, Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação de Pernambuco (SECTI), SEBRAE/PE, SOFTEX RECIFE, SENAI, Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (FIEPE), Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (FACEPE) e Banco do Nordeste.

Para Fellipe Sabat, gestor do programa DigitalPE, a cooperação entre os parceiros tem sido enriquecedora. “Todas as instituições parceiras agregam e dão suas contribuições que trouxeram resultados bem interessantes. A gente espera que as empresas que participaram do nosso projeto sejam os nossos vendedores para que a gente consiga escalar e ampliar ainda mais o número de empresas que a gente vai impactar na etapa de escala", apontou.

Sobre o Digital.BR

O Digital.BR é um programa da ABDI voltado para promover a transformação e a maturidade digital em MPEs da região Nordeste, com investimentos totais de R$ 14 milhões. O primeiro edital foi lançado em junho de 2020 e o segundo será lançado ainda este ano e vai alcançar outras regiões brasileiras. O edital Digital.br selecionou, no ano passado, oito projetos para a fase de implementação de piloto. 

Dos oito selecionados para a fase piloto, três projetos passaram para a fase de escala do programa. E agora receberão investimentos de R$ 1,5 milhão, cada um, para ampliar as ações de transformação digital que desenvolveram na primeira fase. 

Os três projetos - DigitalPE, em Pernambuco; Transforma RN, no Rio Grande do Norte; e Rede Sudoeste Digital, em Vitória da Conquista, na Bahia - alcançaram 52% de aumento médio de produtividade e 20% de aumento médio de maturidade digital, medida por meio da metodologia do Índice CESAR.

“Apoiamos 150 empresas na fase piloto e agora vamos pular para 950 empresas”, afirmou Igor Calvet, presidente da ABDI. Na fase de escala, as redes de ecossistemas envolvidas com os projetos selecionados vão entrar com uma contrapartida financeira da ordem de R$ 5,2 milhões.

O programa Digital.BR atendeu, na etapa piloto, oito projetos de cinco estados brasileiros. Além dos três selecionados para a escala, participaram projetos do Ceará – Rastum e Obras Digitais; de Alagoas, Construção em Rede; e também de Pernambuco, Digitaliza PMI e Petrolina na Economia Digital.